Pular para o conteúdo principal

Sobre sonhos profeticos


Um sonho profético é aquele que procede do espírito da fantasia unido ao intelecto, ou acontece como uma iluminação do intelecto atuante acima de nossas almas, ou por uma revelação genuína vinda de um poder divino para uma mente tranquila e purificada. Por este meio, nossa alma recebe oráculos verdadeiros, dando-nos profecias em profusão. Nos sonhos, afigura-se-nos que tanto fazemos perguntas como aprendemos como achar as respostas. Muitas coisas duvidosas, muitas regras, muitas coisas desconhecidas, indesejáveis e nunca ousadas por nossa mente manifestamse para nós em sonhos. Aparecem-nos imagens de coisas e lugares desconhecidos, imagens de homens vivos ou que já morreram, assim como são preditos eventos futuros. São revelados fatos acontecidos, mas dos quais não tínhamos tido conhecimento por outros meios. Estes sonhos não precisam de interpretação como os mencionados anteriormente, que pertencem à adivinhação e não à premonição. Acontece que a maioria dos que têm sonhos não os entende. Ter os sonhos depende da força da imaginação, entendê-los depende da força do entendimento. Aquele cujo intelecto dominado pela carne cai em sono profundo, ou seu poder ou espírito imaginativo ou fantástico é demasiadamente obtuso ou inculto, não pode receber a essência e a representação que fluem do intelecto superior.

Afirmo que este homem é totalmente inapto para receber sonhos e profetizar por meio deles.

Torna-se necessário, portanto, que a pessoa que recebe sonhos verdadeiros deva manter puro, imperturbável e tranquilo seu espírito imaginativo, tornando-o digno do conhecimento e governado pela mente e pelo entendimento. Então, este espírito será adequado para profetizar, como um espelho claríssimo das imagens que sempre fluem de todas as coisas.

Portanto, quando o nosso corpo é saudável, nossa mente tranquila, nosso intelecto não embaçado por comida e bebida, quando não estamos entristecidos pela pobreza, provocados pela luxúria, instigadas por vícios, agitados por ira ou raiva, nem temos tendências não religiosas ou profanas, nem estamos entregues à leviandade ou perdidos na embriaguez, masvamos para a cama em estado de castidade e adormecemos, então nossa alma pura e divina, livre de todos os males acima citados, isolada de todos os pensamentos dolorosos e agora livre para sonhar, dotada com o instrumento do espírito divino, recebe os raios e as representações que são lançadas para baixo, irradiados pela Mente Divina. Como num espelho, diviniza e apreende todas as coisas com maior precisão, maior clareza e maior eficiência do que pela investigação vulgar do intelecto e pelo discurso da razão. A alma, propiciada pela solidão noturna, é convidada a juntar-se aos poderes divinos que a instruem. Da mesma maneira, quando em estado de vigília, a pessoa também é assistida pelo gênio que governa todas as suas ações.

Aquele que preserva puro seu espírito por meio de meditação tranquila e religiosa, e por uma dieta temperada e moderada de acordo com a natureza, estará bem preparado, o que significa que se tornará cada vez mais divino (em certo grau) e conhecedor de todas as coisas. Aquela que, ao contrário,  permanece na indolência com um espírito cheio dc fantasias, não percebe as visões sutis e distantes; mas, mesmo enquanto visão divina, por estar a visão desse espírito enfraquecida e comprometida, ele a julga confusa e indistintamente. O mesmo nos acontece quando estamos dominados pelo vinho e pela embriaguez, pois o nosso espírito, oprimido pelos vapores nocivos (como a água quando agitada é capaz de adquirir várias formas) é logrado e torna-se embotado. Portanto, aconselho aqueles que querem receber oráculos verdadeiros e precisos por meio de sonhos a absterem-se  por um dia inteiro de carne e por três dias de vinho ou qualquer bebida alcoólica forte, bebendo somente água. Pois os espíritos puros se aproximam das mentes sóbrias e religiosas, mas fogem dos que estão imersos em embriaguez e glutonaria. Embora os espíritos impuros frequentemente revelem segredos importantes aos que estão aparentemente impregnados de vinho ou bebidas alcoólicas, tais comunicações devem ser desprezadas e evitadas.

Há quatro tipos de sonhos verdadeiros: o primeiro matutino, isto é, o que ocorre entre o dormir e o acordar; o segundo é aquele que se vê com respeito a outra pessoa; o terceiro, aquele cuja interpretação é mostrada ao mesmo sonhador em visão noturna; e, finalmente, o quarto, aquele que se repete ao mesmo sonhador na visão noturna.

39. Segundo o pensamento grego, os demônios são seres divinos ou semelhantes aos deuses por um certo poder. O daimon de cada um foi, assim, identificado com a vontade divina e, em consequência, ao destino do homem. Depois, a palavra passou a designar os deuses inferiores e, por fim, os espíritos maus. (N. do T.)

40. Gênio – o mesmo que daimon. Segundo a tradição, o gênio acompanha cada homem como seu duplo, seu anjo da guarda, seu conselheiro, sua intuição, a voz de uma consciência supraracional. Simboliza o ser espiritual. (N. do T.)

41. ‘Tritêmio, sobre os Espíritos. (N. do A.)

42. Sciomancia – do grego skia = sombra e -mancya = adivinhação por meio de comunicação com os mortos. (N. do T.)

Fonte: Magus de Francis Barrett

Postagens mais visitadas deste blog

Onde você deve usar os sigilos dos anjos em um ritual de Trithemius!

Por Robson Bélli Os sigilos dos anjos são usados no lamen, entenda que por lamen o seguinte: Lamen é um termo geral para um pingente mágico pendurado no pescoço de modo que paire sobre o peito, à altura do coração. Seus usos variam, mas geralmente é um mandamento de autoridade. O mago usa um lamen que é uma representação simbólica de suas relações com a divindade. Ele utiliza lamens feito dos selos/sigilos dos espíritos que ele deseja comandar. Ele tem sido descrito como "uma espécie de brasão; exprime o caráter e a competência do usuário". Um tipo de lamen é o talismã que funciona como um depósito de algum tipo particular de energia, do tipo que é necessário para realizar a tarefa para a qual a pessoa o construiu. O pentáculo ou pentagrama, que é muitas vezes confundido com um lamen, é também chamado de "Minutum Mundum", "Universo em Miniatura". Várias Ordens Mágicas usam ou usaram Lamen, incluindo a Ordo Templi Orientis e a Ordem Hermética da Aurora Dour

Desvendando o mistério da magia ineficaz: razões e soluções

Por Robson Belli A magia cativou as pessoas por séculos, pois a ideia de aproveitar os poderes dos anjos para manifestar nossos desejos tem sido uma fonte de fascínio e especulação por gerações. No entanto, apesar de seu fascínio, muitas pessoas que praticam magia podem ficar desapontadas quando não veem os resultados que esperam. Neste artigo, vamos explorar por que isso acontece e o que você pode fazer para superar esse desafio. Por que a mágia não está funcionando para você? Pode haver várias razões pelas quais você não está vendo os resultados que deseja em suas práticas mágicas. Alguns dos motivos mais comuns incluem: Falta de Crença A crença é um dos componentes mais críticos da magia. Se você realmente não acredita no poder da magia, terá dificuldade em manifestar seus desejos. Você tem que entender que a magia é um processo que exige que você tenha fé em si mesmo e no todo poderoso, e em seu poder. Práticas inconsistentes Outra razão comum pela qual a magia não está funcionando

Sobre o método de evocar Espíritos Malignos, ou Familiares ou almas e as sombras dos mortos, por meio de um Círculo magico

É conveniente dizer alguma coisa sobre os meios usados pelos exorcistas para evocar ao círculo os assim chamados espíritos malignos e os métodos de chamar os fantasmas ou as almas dos que morreram de morte violenta ou prematura. Quando alguém pretende chamar ao círculo um espírito maligno, deve primeiro considerar e conhecer sua natureza, e a que planetas ele corresponde, e que encargos lhe são atribuídos pelo planeta. Sabendo isto, deve procurar um lugar adequado e conveniente para sua invocação, relacionado-o com a maior precisão possível à natureza do planeta e à qualidade dos encargos do dito espírito. Caso seu poder seja sobre o mar,rios ou enchentes, que o lugar seja a praia, e assim por diante. Escolher uma ocasião adequada à qualidade do ar (sereno, calmo, limpo e favorável para o espírito assumir um corpo), assim como à qualidade e à natureza do planeta e do espírito, como, por exemplo, seu dia e sua hora de soberania, pois a ocasião pode ser favorável em algumas horas do dia