Pular para o conteúdo principal

Consagração do templo

Quando quiseres consagrar um local ou um círculo, deverás tomar a oração de Salomão usada na dedicação e na consagração do templo. Deverás também abençoar o lugar aspergindo água benta e fazendo sufumigações e, na ação de graças, celebrar os mistérios santos tais como a santificação do trono de Deus, do monte Sinai, do tabernáculo da aliança, do santo dos santos, do templo de Jerusalém; também da santificação do monte Gólgota pela crucifixão de Cristo, a santificação do templo de Cristo, do monte Tabor pela transfiguração e ascensão de Cristo, etc. Deves também invocar todos os nomes divinos relacionados a isto, como o lugar de Deus, o trono de Deus, o assento de Deus, o tabernáculo de Deus, o altar de Deus, a morada de Deus, e outros nomes divinos deste tipo, que devem ser escritos ao redor do círculo ou do lugar a ser consagrado.  

Na consagração de instrumentos e de cada coisa usada nesta arte, deverás proceder da mesma maneira, aspergir com água benta, fazer fumigação, ungir com azeite santo, selar com um selo sagrado, abençoá-los com oração e celebrar coisas sagradas tiradas das Escrituras, juntar nomes divinos correspondentes às coisas a serem consagradas, como, por exemplo, na consagração da espada devemos nos lembrar do trecho do Evangelho: “aquele que tem dois mantos”, etc., e do trecho do segundo livro dos Macabeus, onde se fala que uma espada foi enviada por intervenção divina para Judas Macabeu, e se há algo semelhante nos profetas, como: “tomai espadas de dois fios”, etc. E deves também consagrar da mesma maneira as experiências e os livros, e coisas como escritos, desenhos, etc., aspergindo-os, perfumando, ungindo, selando, abençoando, junto com celebrações sagradas e chamando à lembrança a santificação dos mistérios, como a tábua dos dez mandamentos entregue por Deus a Moisés no monte Sinai, a santificação do Velho e do Novo Testamento, assim como da lei, dos profetas e das Escrituras reveladas pelo Espírito Santo. Deves mencionar nomes divinos convenientes a isso, como o testamento de Deus, o livro de Deus, o livro da vida, o conhecimento de Deus, a sabedoria de Deus e outros. 

A consagração pessoal é realizada com ritos deste tipo.  Além desses, há outro rito de consagração, poderosíssimo e muito eficaz. É baseado no sobrenatural, transferindo o rito da consagração ou o resultado de qualquer sacramento da Igreja para a coisa que queremos consagrar.  Devemos dizer que juramentos, oblações e sacrifícios também têm o poder real e pessoal de consagração. São combinações entre os nomes com os quais são feitos e nós que os fazemos, carregadas com o desejo intenso dos efeitos que pretendemos, como quando sacrificamos usando certos nomes ou fumigações, unções, anéis, imagens, espelhos e algumas coisas menos materiais, como caracteres, selos, pentáculos, encantamentos, orações, desenhos e Escrituras Sagradas, assuntos sobre os quais já falamos profusamente.

Magus (Livro segundo, segunda parte)

Postagens mais visitadas deste blog

Onde você deve usar os sigilos dos anjos em um ritual de Trithemius!

Por Robson Bélli Os sigilos dos anjos são usados no lamen, entenda que por lamen o seguinte: Lamen é um termo geral para um pingente mágico pendurado no pescoço de modo que paire sobre o peito, à altura do coração. Seus usos variam, mas geralmente é um mandamento de autoridade. O mago usa um lamen que é uma representação simbólica de suas relações com a divindade. Ele utiliza lamens feito dos selos/sigilos dos espíritos que ele deseja comandar. Ele tem sido descrito como "uma espécie de brasão; exprime o caráter e a competência do usuário". Um tipo de lamen é o talismã que funciona como um depósito de algum tipo particular de energia, do tipo que é necessário para realizar a tarefa para a qual a pessoa o construiu. O pentáculo ou pentagrama, que é muitas vezes confundido com um lamen, é também chamado de "Minutum Mundum", "Universo em Miniatura". Várias Ordens Mágicas usam ou usaram Lamen, incluindo a Ordo Templi Orientis e a Ordem Hermética da Aurora Dour

Desvendando o mistério da magia ineficaz: razões e soluções

Por Robson Belli A magia cativou as pessoas por séculos, pois a ideia de aproveitar os poderes dos anjos para manifestar nossos desejos tem sido uma fonte de fascínio e especulação por gerações. No entanto, apesar de seu fascínio, muitas pessoas que praticam magia podem ficar desapontadas quando não veem os resultados que esperam. Neste artigo, vamos explorar por que isso acontece e o que você pode fazer para superar esse desafio. Por que a mágia não está funcionando para você? Pode haver várias razões pelas quais você não está vendo os resultados que deseja em suas práticas mágicas. Alguns dos motivos mais comuns incluem: Falta de Crença A crença é um dos componentes mais críticos da magia. Se você realmente não acredita no poder da magia, terá dificuldade em manifestar seus desejos. Você tem que entender que a magia é um processo que exige que você tenha fé em si mesmo e no todo poderoso, e em seu poder. Práticas inconsistentes Outra razão comum pela qual a magia não está funcionando

Sobre o método de evocar Espíritos Malignos, ou Familiares ou almas e as sombras dos mortos, por meio de um Círculo magico

É conveniente dizer alguma coisa sobre os meios usados pelos exorcistas para evocar ao círculo os assim chamados espíritos malignos e os métodos de chamar os fantasmas ou as almas dos que morreram de morte violenta ou prematura. Quando alguém pretende chamar ao círculo um espírito maligno, deve primeiro considerar e conhecer sua natureza, e a que planetas ele corresponde, e que encargos lhe são atribuídos pelo planeta. Sabendo isto, deve procurar um lugar adequado e conveniente para sua invocação, relacionado-o com a maior precisão possível à natureza do planeta e à qualidade dos encargos do dito espírito. Caso seu poder seja sobre o mar,rios ou enchentes, que o lugar seja a praia, e assim por diante. Escolher uma ocasião adequada à qualidade do ar (sereno, calmo, limpo e favorável para o espírito assumir um corpo), assim como à qualidade e à natureza do planeta e do espírito, como, por exemplo, seu dia e sua hora de soberania, pois a ocasião pode ser favorável em algumas horas do dia